FERENC PUSKAS, O MAJOR GALOPANTE

 

Ferenc Puskas Biró, nascido em Budapeste no dia 2 de Abril de 1927, foi o maior jogador húngaro de todos os tempos. Aliás, não apenas na Hungria, mas em todo o mundo, foi seguramente um dos dez maiores jogadores de futebol de todos os tempos. Puskas foi um daqueles jogadores que podemos colocar na seleta galeria onde somente o Rei Pelé foi superior.

O craque começou a sua carreira de jogador de futebol profissional, no ano de 1943, em meio a segunda grande guerra mundial, aos 16 anos de idade no time do Kispest, que ficava próximo de sua casa. Pelo Kispest, clube que era dirigido pelo seu pai, Puskas atuou em 177 jogos a incrível marca de 187 gols.

Em 1949 o exército húngaro decidiu ter o seu prórpio time de futebol, associando – se ao Kispest, que passou a ser chamado de Honved. Pelo Honved Puskas atuou em 164 jogos anotando 165 gols. Com uma forte influência militar, tanto que seu nome “Puskas”, em húngaro, significa revólver, além de jogador era também major do exército húngaro, por isso a eterna alcunha de “Major Galopante”. 

Estreou na seleção da Húngria com 18 anos de idade em um amistoso contra a Áustria em 1945. Neste jogo a Hungria venceu por 5x2, Puskas anotou um gol. Em 85 jogos pela seleção de seu país, anotou 84 gols. Foi o grande maestro de uma equipe que mais tarde ficaria conhecida como “Magiares” (“mágicos” em húngaro). A forte seleção húngara da década de 50, que permaneceu invicta por quatro anos, conquistou em 1952 a medalha de ouro nas olímpiadas de Helsinque.

A poderosa Inglaterra em 1953, decidiu convidar a Hungria para um amistoso em Wembley, onde pretendia mostrar ao mundo a sua superioridade. Porém a Hungria venceu por 6x3. Não satisfeita pediu a revanche, que aconteceu em Budapeste, perdeu novamente, desta vez por 7x1. Puskas calou os ingleses.

Na Copa do Mundo de 1954 na Suiça, a Hungria encantou o mundo, mas por aquelas coisas que só acontecem no futebol, acabou sucumbindo perante a Alemanha Ocidental na final por 3x2 de virada, em um dos resultados mais inesperados da história das Copas, mesmo assim o mundo rendeu – se ao futebol mágico de Puskas.

O craque era baixinho, atarracado, vestia – se mal e usava gomalina nos cabelos. Mas com a bola nos pés quanta elegância! No final da década de 50, fugindo do bloco militar russo na Hungria, foi defender o Real Madrid. No time Merengue atuou em 182 jogos marcando 157 gols. Na Espanha conquistou muitas glórias, tornou – se praticamente um rei. Naturalizou – se Espanhol e em 1962 disputou a Copa do Chile pela Espanha. Permaneceu no Real Madrid até 1966 quando se aposentou.

Puskas faleceu no dia 17 de Novembro de 2006 em Budapeste aos 79 anos de idade. Em 2009 a FIFA criou o prêmio “Ferenc Puskas” ao autor do gol mais belo do ano. O primeiro vencedor da honraria foi o craque português Cristiano Ronaldo.