DIEGO ARMANDO MARADONA

 

É indiscutível que o maior jogador de futebol de todos os tempos foi o Rei Pelé, mas se existe alguém que ameaçou o seu trono foi ninguém menos que Diego Armando Maradona.

Nascido em Lanús no dia 30 de Outubro de 1960, Maradona na Argentina conseguiu ser muito mais que um craque, por lá virou Deus, com direito a religião própria e tudo.

O pequeno garoto com apenas nove anos de idade, encantou os dirigentes da base do “Argentinos Júniors”, devido a sua incrível maestria e habilidade com a perna esquerda, tanto que resolveram conferir a documentação de “Dieguito” para ver se ele tinha mesmo somente os nove anos de idade.

Com 15 anos de idade já era titular do clube e jogava um futebol mágico.

Aos 17 anos já estava na seleção da Argentina.

Aos 20 já havia sido 3 vezes artilheiro do campeonato argentino e 2 vezes eleito o melhor jogador da América.

Em 1981 jogou pelo Boca Juniors em uma única temporada, mas virou Rei.

Em 1982 disputou sua primeira Copa do Mundo, na Espanha, no mesmo ano transferiu – se para o Barcelona, onde permaneceu até 1984, quando trocou a Catalunha por Napóles, na Itália, onde também foi beatificado.

O futebol do “PIB Del Oro”, fez com que o então modesto Nápoli conquistasse o scudetto italiano duas vezes nas temporadas 86/87 e 89/90, além da Copa da Itália em 87 e a Copa da UEFA em 89.  

Na Copa do México em 86, Maradona sozinho fez o esforçado time da Argentina conquistar o bi mundial. Na partida contra a Inglaterra, na vitória por 2x1, marcou o seu célebre gol de mão que ficou conhecido como “La mano de Dios” e também o gol que foi considerado o mais bonito de todas as Copas, driblando praticamente inteiro o time Inglês.

Na Copa de 1990 na Itália, ficou com o vice, mas pela Argentina ter a sua sede em Nápoles, fez com que o povo da cidade torcesse contra a Itália, somente por ele estar em campo.

Mas nem tudo foram flores em sua vida, problemas com drogas fizeram com que a carreira de Maradona começasse a ruir. O craque deixou o Nápoli, envolveu – se em confusões e chegou ao fundo do poço com o vício das drogas.

Tentando salvar a carreira, passou com pouco brilho pelo Sevilla e pelo Newll’s Old Boys. Na Copa dos EUA em 1994, recebeu nova chance, mas foi pego novamente no exame antidoping e acabou suspenso por 15 meses.

Em 1995 voltou ao Boca Júniors onde encerrou a sua carreira de jogador em 1997. Posteriormente voltou a se envolver nas drogas, novamente chegou ao fundo do poço. Engordou tanto que ficou deformado, irreconhecível. Após uma redução de estômago, perdeu 50 quilos e ressurgiu recuperado.

Em 2010 o “Dios” recebeu a oportunidade de dirigir a seleção da Argentina na Copa do Mundo da África do Sul.